Marechal Candido Rondon / PR - sexta-feira, 31 de outubro de 2014

O que é DPOC?

  

O que é DPOC?

 

DPOC é a abreviatura de doença pulmonar obstrutiva

crônica. É uma doença pulmonar caracterizada pela

presença de sintomas respiratórios de longa duração

(tosse, produção de catarro e falta de ar) que surgem,

geralmente após os 40 anos, em pacientes que fumaram por muito tempo.


DPOC é o termo médico mais

apropriado para se referir ao que

antigamente costumávamos chamar de

enfisema pulmonar e bronquite crônica.

 

 


 

Quem poderá ter DPOC?



O principal fator de risco para o desenvolvimento da DPOC

é o tabagismo. Os trabalhos científicos mostram que,

possivelmente por razões genéticas,

aproximadamente 15% dos fumantes irão ter

a doença. A chance de apresentar a doença é maior nas

pessoas que fumam há mais tempo e uma maior

quantidade de cigarros por dia.


Há alguns anos a freqüência de pacientes com DPOC era

muito maior entre os indivíduos do sexo masculino do que

entre as mulheres. Tal fato criou a falsa idéia de que tal

patologia seria uma “exclusividade” dos homens. Dados

recentes mostraram aumento progressivo na prevalência da

DPOC entre as mulheres, fato explicado pelo aumento do

tabagismo entre elas e, possivelmente, por uma maior

sensibilidade das mulheres ao cigarro.


A doença também pode ser provocada pela inalação

persistente da fumaça gerada pela queima da lenha

utilizada em fogões domiciliares. Uma causa rara é a

deficiência congênita de uma proteína denominada alfa-1

antitripsina, que normalmente esta presente nos pulmões.


Ainda não se sabe se o tabagista passivo (indivíduo não

fumante que inala a fumaça do cigarro de pessoa de seu

convívio) pode desenvolver DPOC.


Faça o teste e veja se vc tem DPOC:


http://www.respireeviva.com.br/tenho_dpoc.asp


 

Quais são os sintomas da DPOC?

  

Os sintomas da DPOC aparecem de maneira lenta e progressiva,

sendo comum o paciente dar atenção à doença somente quando

essa se encontra em uma fase mais avançada.

 

 

 

 


A tosse é o sintoma mais comum da DPOC,

geralmente se apresenta com produção de catarro, cuja

expectoração é mais intensa pela manhã ("pigarro do cigarro") e pior

durante as infecções respiratórias ("gripe"). A duração da tosse é

crônica (meses a anos), podendo ser diária ou intermitente. O

doente, às vezes, procura um médico, queixando-se de uma "gripe"

que não se curou.

 


O paciente também pode ter falta de ar, que inicialmente surge

com os grandes esforços físicos ou quando tem infecções

respiratórias, piorando progressivamente ao longo do tempo. Os

indivíduos sedentários podem perceber a falta de ar somente

quando esta for mais intensa, afetando as atividades do cotidiano.

 


É comum o paciente apresentar chieira, acompanhando a

falta de ar, ou durante os quadros gripais.

O portador de DPOC pode apresentar uma piora aguda (súbita) dos

sintomas. Caracteristicamente, haverá aumento da tosse, da

quantidade de escarro (que se torna amarelado ou esverdeado), e

surgimento de falta de ar ou piora da falta de ar habitual. Este

quadro, conhecido pelos pacientes como "crise" da doença, é

chamado de exacerbação ou agudização da DPOC.